Assine nossa Newsletter

Highline, Caminhando nas Alturas - Entrevista com Bruno Migueis

Com a crescente expansão do slackline no país, uma de suas vertentes mais radicais vem chamando atenção de muitas pessoas e atraindo cada vez mais atletas. O Highline é a modalidade em que são realizadas travessias e até manobras estáticas sobre a fita em alturas superiores a cinco metros. E que por isso precisa de muito treino e principalmente conhecimento sobre técnicas de montanha e equipamentos de segurança

Conversamos então com Bruno Migueis, Highliner carioca experiente, que nos conta como deve ser a preparação para quem pretende atingir este nível do esporte, que pode ser considerado seguro porém deve ser praticado sempre com muita responsabilidade.
Se liga nas dicas que o cara deu e saiba como é a vida de quem vive caminhando nas alturas.

ORANGOTANGO:
Bom dia Bruno, primeiramente muito obrigado por conversar com a gente, gostaríamos de saber a quanto tempo você pratica slackline e como você conheceu o esporte?

BRUNO MIGUEIS:
Conheci o slackline no condomínio onde moro, a 2 anos e meio atrás.

ORANGOTANGO:
Você também pratica trickline?

BRUNO:
Em relação a fita de 50mm, que hoje em dia é chamada de trickline, não curto, gosto felling da fita de 25mm. Até uns 6 meses de slack treinava as manobras. Mas depois comecei a focar em aumentar meu real nível de slack, treinado distâncias cada vez maiores.

ORANGOTANGO:
Quanto tempo você praticou no chão até começar a fazer Highline?

BRUNO:
Com 3 meses de slackline tive a primeira oportunidade de fazer um highline, no caso foi o do Bananal em Niterói com uns 12m <-> / 31m 

ORANGOTANGO:
Qual foi a maior altura que você já fez travessia?

BRUNO:
O mais alto foi na Pedra da Gávea, com 842m e o mais longo foi do Grajau com uns 35m

ORANGOTANGO:
O que te mais motiva a fazer highline?

BRUNO:
O sentimento de caminhar no céu.

ORANGOTANGO:
Você treina com que frequência?

BRUNO:
Até completar 1 ano e pouco eu treinava serio. De lá pra cá venho mais colhendo os frutos. Nesse mês de Dezembro estou voltando para os treinos, afim de me preparar para o Vibram Natural Games.

ORANGOTANGO:
Você sente medo? Como faz para controlá-lo e conseguir ficar a vontade lá em cima?

BRUNO:
Não. Só no primeiro highline senti medo, levei 30min para dar o primeiro passo. Nunca tive medo de altura, pelo contrario sempre gostei. O que pega mesmo no highline é o lance de você sair da sua zona de conforto e entrar na zona de coragem, e se sua mente não estiver calma isso pode ser um problema. Nesses casos eu medito antes de andar.

ORANGOTANGO:
O highline pode ser considerado um esporte cem por cento seguro?

BRUNO:
Em relação a ancoragem do highline se for feita de forma correta é 1000% seguro, mas se uma coisa não for feita certa condena todo sistema. E ainda tem fator de ser um esporte de montanha, qualquer tipo de socorro ou resgate fica a quilômetros de floresta.

ORANGOTANGO:
Que tipo de conhecimento é necessário adquirir para quem quer além de praticar, aprender a montar um highline com segurança?

BRUNO:
Primeiro passo é entrar num curso básico de escalada, o curso é muito importante , tanto na técnica quanto na ética, para prática segura e consciente do esporte

ORANGOTANGO:
Você conhece casos de pessoas que se acidentaram praticando highline?

BRUNO:
Acidente fatal houve somente um na Noruega. Acidentes leves já é mais comum, já sai ralado e cortado muitas vezes e um brother já até abriu a cabeça na gávea. 

Você já passou por alguma situação complicada nas alturas?

BRUNO:
O dia mais lenha que tive foi com uma tempestade entrando de sudoeste na barra, estava com mais 2 amigos. Tivemos que desmontar o high com muita chuva e pouca visibilidade, e ainda fazer a trilha de volta com os equipamentos todos molhados pesando o triplo. 

Qual é realmente o maior risco na prática?

BRUNO:
Não saber o que se está fazendo, tenho visto muitos vídeos bizarros pela internet. 
Quanto tempo de slackline você acha que um atleta deve ter até começar a treinar no alto?
Vai de cada pessoa, depende de muitos fatores.

ORANGOTANGO:
Que dica você daria pra quem ta começando agora no slackline e que pretende seguir o seu caminho e praticar highline um dia?

BRUNO:
Primeiro acreditar em você mesmo, só comecei a praticar slack pra poder fazer nas montanhas. Logo no começo eu já queria fazer um highline antes de 1 ano de slackline e todos meu amigos riam e tal falavam que eu era maluco que isso e aquilo. Hoje com 2 anos e meio estou quase na faixa preta do esporte, e seguramente entre os top 3 no Brasil.


Quanto a técnica, tem que se treinar muito longline, é o que vai te dar o piscologico e o nível de slackline necessario. Vejo pessoas montando linhas curtas a 2m ou mais do chão, isso só serve para se lesionar.

Mais uma vez obrigado pela entrevista Bruno, com certeza vai ajudar bastante a esclarecer várias dúvidas que a galera tem sobre a prática do Highline. Grande Abraço. Estamos Juntos!




Confiram um vídeo com uma coletânea de travessias e rolés do Bruno.

1 Comentários: